Hoje é

GLOSSÁRIO

Aneurisma
Dilatação sacular ou fusiforme que é localizada na parede de uma artéria ou toda sua circunferência da artéria, decorrente de uma enfraquecimento ou lesão na parede do vaso. A ruptura de um aneurisma apresenta alta mortalidade.

Angiografia
Estudo radiológico para visualização da luz do vaso ao injetar líquido contrastante (contraste).

Angioplastia
Opção não cirúrgica e menos agressiva para tratamento de estenoses arteriais. Consiste em insuflar temporariamente um cateter-balão no interior do vaso para corrigir um estreitamento. Algumas vezes é acompanhado por um stent (pequeno tubo metálico) para manter o vaso aberto.

Anti-agregante plaquetário
Medicamento que atua diminuindo a capacidade de agregação das plaquetas e consequentemente diminui a coagulabilidade do sangue. O exemplo clássico é o acido acetilsalicilico (AAS ®). Outros exemplos: Plavix®, Ticlid® e Reopro®.

Anticoagulante
Drogas usadas para prevenir formação do trombo.
Exemplos: warfarina, sinthrome, ticlopidina and heparina.

Aorta
A maior artéria do corpo, nasce do ventrículo esquerdo do coração e transporta sangue arterial para suprir todo o organismo.

Artérias
São os vasos que transportam o sangue do coração para todo o corpo humano. Constituem-se de um tubo com parede fina muscular.

Carótidas / Artérias Carótidas
Artéria importante onde após sua bifurcação (bulbo) o seu segmento interno irriga a maior porção do cérebro. Esta artéria pode ser comprometida uma séria de patologias, sendo uma das mais frequentes a estenose por placa de ateroma no seu bulbo.

Artérias Vertebrais
Artérias responsáveis pela irrigação da porção posterior do cérebro e medula cervical. Também pode ser acometida por placas de ateroma na sua origem.

Arteriografia
Mapeamento da luz dos vasos através da utilização de contraste nas artérias do corpo humano.

Arteriografia seletiva
Visualização seletiva de apenas uma artéria ou região utilizando-se um cateter para injetar pequena quantidade de contraste somente no vaso desejado.

Arteríolas
Pequenos ramos arteriais que regulam a resistência ao fluxo sanguíneo. Estruturalmente suas paredes são ricas em fibras musculares e também são conhecidos como vasos de resistência, pois quando se contraem aumentam a pressão arterial do sangue.

Placa de Ateroma / Placa Aterosclerótica / Ateroma
Depósito de gordura e tecido fibroso, calcificada ou não, que pode causar estreitamento do vaso sanguíneo.

AVC (termo popular "derrame cerebral")
Sigla que significa Acidente Vascular Cerebral, ou seja, doença de um vaso do cérebro. Pode ser AVC Isquêmico pelo entupimento de um vaso ou pode ser AVC Hemorrágico pela ruptura de um aneurisma ou MAV. Ambos podem ser tratados pela neurorradiolgia intervencionista.

Bulbo Carotídeo
Suave dilatação da artéria carótida cervical, local onde acontece a sua bifurcação em carótida interna e carótida externa. O bulbo é local comum de estenose por placa de ateroma.

Capilares
Vasos sanguíneos microscópicos que se situam entre arteríolas e vênulas, isto é entre artérias e veias, que distribuem o sangue oxigenado para os tecidos do corpo.

Cardiologia
Parte da medicina onde atua um médico com treinamento específico em correção de lesões do coração por meios clínicos ou cirúrgicos. Consiste uma opção terapêutica no tratamento das doenças do coração.

Cateter
Fino tubo flexível projetado para fins médicos o qual é usado dentro vaso sanguíneo ou cavidade do corpo, onde é visualizado dentro do corpo através de um tubo de raios-X. Há diversas formas e curvas de cateteres que ajudam o procedimento servindo a anatomia da área em questão. O contraste pode ser injetado através do cateter na neurorradiologia intervencionista.

Cateter Guia
São tubos flexíveis que são introduzidos no sistema arterial geralmente pela virilha e vão ser navegados dentro dos vasos até perto do local a ser tratado, por exemplo, até o pescoço para tratar um aneurisma do cérebro. Uma vez posicionado próximo ao local a ser tratado o cateter guia tem a função de ser um canal por onde os microcateteres farão o trabalho mais fino levando molas (em aneurisma), partículas (em tumores), trombolíticos (em isquemia cerebral) e outros materiais dependendo da doença em questão.

Cateterismo, Angiografia e Flebografia
Método em que se punciona uma veia ou artéria periférica e se introduz um tubo fino e flexível, (cateter) até os grandes vasos com a finalidade de se analisar dados fisiológicos, funcionais (sentido de fluxo) e anatômicos (calibre do vaso, trajeto do vaso, aspecto da parede). Apesar da história clínica, exame físico, ultrassom colorido, radiografia, tomografia e ressonância, medicina nuclear, eco cardiograma, terem muitas informações o cateterismo fornece dados consideráveis sobre a função e fisiopatologia neurovascular cervical, cerebral e medular, o cateterismo pode auxiliar na obtenção de uma série de dados adicionais que contribuirão para um diagnóstico mais preciso e consequentemente na indicação do tratamento mais adequado.

Cateterismo Terapêutico
Quando o cateterismo visa o tratamento de uma lesão

Circulação Colateral
Rede de vasos que se desenvolve, próximo ao local da obstrução de um vaso maior, na tentativa do organismo de manter fluxo sanguíneo ao local comprometido. É comum os ramos colaterais serem insuficientes em manter o fluxo à área lesada.

Cirurgia Vascular
Parte da medicina onde atua um médico com treinamento específico em correção de lesões dos vasos por técnica principalmente cirúrgica. Consiste uma opção terapêutica no tratamento desses vasos.

Cola
Termo popular para o adesivo tissular (AT), um dos mais usados é o cianoacrilato. O AT é usado para fechar vasos patológicos de forma definitiva. É necessário treinamento específico para manipular este material.

Contraste
Líquido, estéril utilizado para visualização dos vasos sanguíneos e tecido por eles irrigados devido as propriedades específicas da sua estrutura química. Existem várias substâncias contrastantes. As mais utilizadas são fabricadas à base de Iodo. O contraste torna possível a angiografia e flebografia.

Há contrastes específicos para angiografia, tomografia, ressonância magnética bem como para a neurointervenção e mielografia.

Craniectomia
Momento da cirurgia neurológica onde uma parte dos ossos do crânio é removida temporariamente.

Diplopia
Termo técnico para a visão dupla. O paciente pode ver objetos duplicados. Isso pode ser apenas uma parte do campo visual. Há várias causas de diplopia e o seu oftalmologista poderá ajudá-lo. A investigação utiliza-se além do exame médico, exames de imagem como tomografia ou ressonância num intuito de identificar possíveis tumores ou aneurismas (geralmente não rotos). Se houver um aneurisma o paciente deve ser encaminhado a neurorradiologia intervencionista ou se não disponível para a neurocirurgia.

Dissecção
É a separação longitudinal e circunferencial da camada média da parede da artéria em extensão variável. Essa lesão pode comprometer o fluxo d área irrigada ou pode formar um pseudo-aneurisma e levar a efeito compressivo local ou ainda hemorragia.

Embolectomia
Termo técnico genérico para as formas de remover um êmbolo de um vaso.